Criadores de Cuphead deixaram empregos e contraíram dívidas pelo game

Criadores de Cuphead deixaram empregos e contraíram dívidas pelo game

[ad_1]

Apresentado oficialmente durante a E3 de 2014, Cuphead rapidamente se tornou um dos games independentes mais esperados dos últimos anos. No entanto, a notícia de que o game só teria confronto com chefes diminui a empolgação do título, o que fez seus desenvolvedores voltarem à prancheta de desenho — e contraírem dívidas — para tornar a experiência mais completa.

“Meu irmão e eu deixamos nossos trabalhos, refizemos a hipoteca de nossas casas e começamos a expandir o time”, afirma o designer Chad Moldenhauer. “Essa era nossa chance de entregar o game que queríamos fazer desde o início, em vez do escopo reduzido que planejamos como um time de três pessoas”.

Essa era nossa chance de entregar o game que queríamos fazer desde o início

Agora o StudioMDHR emprega 20 pessoas, o que inclui animadores, designers, artistas que pintam cada uma das cenas e até mesmo um encarregado de cuidar das letras feitas a mão. “O trabalho central da engine já havia sido feito, incluindo os controles e as configurações de cenários aos chefes. Evoluir daí para estágios mais complexos foi o próximo passo”, explicou Moldenhauer ao Games Radar.

“Para realmente captar o estilo de animação dos anos 30, tivemos que aumentar a autenticidade ao fazer o trabalho da mesma maneira que eles — pincéis, tintas, pinturas à base da água, todos os frames feitos manualmente”, explica o desenvolvedor. “Não usamos nenhuma técnica moderna ou truques de software para auxiliar a animação. Se você ver um ovo girar 360 graus em Cuphead, não pegamos um frame e o rodamos no software, desenhamos cada quadro individual em todas as fases da rotação”.

Essa decisão faz com que o estúdio tenha que planejar cada recurso com cuidado, já que qualquer erro pode significar jogar muito trabalho fora. Essa é uma das razões pelas quais pouco se ouviu falar sobre o game desde que ele surgiu de forma jogável na E3 de 2015 — em certo ponto, o estúdio cogitou transformá-lo em uma aventura 3D para facilitar o processo.

Apesar do grande desafio, o time de desenvolvimento conseguiu superar obstáculos e faltam poucos meses até que ele chegue às lojas. “Quando percebemos que muita gente parecia querer Cuphead, decidimos apostar tudo e fazer o jogo que sempre quisemos”, afirma Moldenhauer.

Há a chance de que o longo tempo de desenvolvimento do game tenha diminuído expectativas e a aposta do StudioMDHR dê errado, mas isso seria uma pena. Com versões para o Xbox One e o Windows 10, o título tem lançamento programado para o dia 28 de setembro ao custo de R$ 77,45 na Windows Store.

[ad_2]

Source link

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *