15 anos do pentacampeonato brasileiro

[ad_1]

O pentacampeonato da Seleção Brasileira completa 15 anos nesta sexta-feira. Do primeiro jogo, contra a Turquia, ainda na fase de grupos, ao duelo final contra a Alemanha, o Brasil passou por momentos de emoção, desconfiança e muita garra.

A caminhada rumo ao título da Copa do Mundo de 2002 começou com a Seleção sofrendo. A equipe do técnico Luis Felipe Scolari enfrentou a surpreendente Turquia, na primeira rodada da fase de grupos, e saiu atrás no placar, após falha do zagueiro Lúcio e gol de Hasan. Já no segundo tempo, a eterna dupla Ronaldo e Rivaldo marcou os dois primeiros gols da Seleção na competição e garantiu a vitória por 2 a 1.

Leia mais: Caça a Denilson completa 15 anos e ex-atacante chora ao relembrar o penta com a Seleção

Cinco dias após a estreia, o Brasil retornou a campo contra a China, em Jeju, na Coréia do Sul. O lateral esquerdo Roberto Carlos abriu o placar em forte cobrança de falta. O trio composto por Ronaldo Fenômeno, Ronaldinho Gaúcho e Rivaldo completou o placar e garantiu a primeira goleada do Brasil na Copa: 4 a 0.

Com a classificação às oitavas de final garantida, a Seleção entrou com time misto na última partida da fase de grupos. Diante da Costa Rica, mesmo sem apresentar um grande futebol e sem pressionar, a “família Scolari” goleou por 5 a 2. A partida ficou marcada pelo belo gol do volante Edmílson, que abusou da elasticidade para completar cruzamento de Júnior e marcar o terceiro do time nacional.

Com 100% de aproveitamento, o Brasil enfrentou a Bélgica nas oitavas. Foi, então, que brilhou a estrela do goleiro “São” Marcos. O camisa 1 fechou o gol e realizou defesas incríveis, parando o forte ataque dos belgas, comandados por Marc Wilmots. No setor ofensivo, Rivaldo e Ronaldo voltaram a balançar as redes e decretaram a vitória por 2 a 0.

Nas quartas de final, a forte seleção da Inglaterra, com David Beckham, Michael Owen e companhia, foi a adversária da Seleção. Com grande atuação de Ronaldinho Gaúcho, que deu uma assistência e fez um gol antológico em cobrança de falta, o time nacional venceu por 2 a 1 e avançou na Copa.

Brasil e Turquia voltaram a se enfrentar na semifinal da competição. Assim como na fase de grupos, os turcos deram muito trabalho para os brasileiros. Com uma forte defesa e um ataque que apostava nas bolas paradas, a Turquia se portou bem em campo. Com dificuldades, a Seleção precisou contar com a estrela de Ronaldo Fenômeno, que chutou de bico para marcar o gol solitário que classificou a Amarelinha à final. O duelo ainda teve um final marcante, depois de Denilson ser perseguido por quatro marcadores e ser parado com falta, levantando a torcida que compareceu ao estádio Saitama, no Japão.

Na grande decisão, a terceira seguida que a Seleção disputava (1994, 1998 e 2002), os comandados de Felipão tiveram pela frente a Alemanha. O goleiro Oliver Kahn, que seria escolhido o melhor jogador da competição, até tentou parar o ataque brasileiro, mas não foi capaz. Ronaldo Fenômeno, que anotou oito gols na Copa de 2002, foi o responsável por balançar as redes duas vezes e garantir o pentacampeonato brasileiro – o primeiro e único penta da história das Copas.

O grito de “campeão” saia da garganta dos torcedores. As ruas brasileiras eram tomadas pelas cores verde e amarelo. A consagração de um grupo de jogadores que chegaram ao torneio desacreditados. Quando o lateral direito e capitão Cafu levantou a tão sonhada taça de campeão, o nome de cada jogador ficaria marcado para sempre na memória de todos os amantes do futebol.

[ad_2]

Source link

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *