Para confortar fãs, Capcom garante que fórmula Monster Hunter ainda é igual

Para confortar fãs, Capcom garante que fórmula Monster Hunter ainda é igual

[ad_1]

Para uma grande parcela de fãs (eu me incluo nesses dados), Monster Hunter World foi um sonho virando realidade: um título da franquia principal chegando a um console da nova geração com visuais aprimorados, mecânicas refinadas e fórmula mais robusta. Entretanto, outra fatia considerável que gosta da série viu com outros olhos: o fim do Monster Hunter que conhecemos.

Muitos fãs estão céticos e acreditam piamente que Monster Hunter World será uma ocidentalização e transformação enorme da série, similar ao que Resident Evil 4 foi para Resident Evil clássico. Apesar de a Capcom já ter elencado dezenas de pontos que demonstram que não haverá mudanças drásticas e de um gameplay de 25 minutos ter vazado e mostrado um gameplay quase idêntico, a empresa ainda precisa se pronunciar para acalmar os seguidores fieis de Monster Hunter.

“Nós não estamos tirando coisas que as pessoas no Ocidente odeiam nem consertando essas coisas para que os ocidentais comprem o jogo. As pessoas assumem isso de vez em quando ou tem medo, mas esse não é o caso”, explicou Kaname Fujioka, diretor executivo de Monster Hunter World.

A fórmula Monster Hunter é mais do que gráficos e novidades

Para quem conhece a franquia, sabe que Monster Hunter é muito mais do que um jogo de ação para matar monstros. É mais do que apenas as armas, looting e crafting: a série tem um universo único e mecânicas únicas (tanto é que muitos tentaram se inspirar na fórmula, mas pouquíssimos foram bem-sucedidos).

E é esse alicerce que faz de Monster Hunter ser Monster Hunter que os fãs têm medo de mudar, mas a Capcom assegura que isso está intacto. O que muitos fãs ficaram preocupados é que o trailer mostrou muito superficialmente o novo mundo, sem os efeitos sonoros marcantes e com muito foco em coisas novas, como os trechos furtivos, o novo grappling hook para locomoção fácil e o sistema de armas de longa distância novo.

A Capcom assegura: o alicerce de Monster Hunter está intacto e não há mudanças para agradar o público ocidental

Porém, o que a imprensa teve acesso na E3 (incluindo nós, do TecMundo Games) é algo que colabora com as afirmações da Capcom: o principal continua lá e ainda se trata sobre caçar monstros e utilizar o ambiente ou itens especiais para isso. O coração de Monster Hunter ainda bate forte e respeita o legado anterior.

As novidades serão sintonizadas com o legado

Entre os elementos novos que Monster Hunter World trará, temos as áreas sem loading que não dividem o mapa (ou seja, sem tempo de correr para usar aquela poção) e algumas adições no combate. “A natureza ininterrupta dos mapas realmente influencia todo o gameplay. Nós temos que decidir com base nisso o que refinar e o que não mudar”, explica Fujioka.

“Se você quer perguntar qual é o parâmetro que nós usamos para mudar isso ou aquilo, então é simples: nosso novo gameplay ininterrupto e interações ininterruptas com monstros precisam de mudança ou não? Certamente não é um agrado para aumentar as vendas para a audiência casual do Ocidente: a nova jogabilidade tem que se mesclar com o novo conceito ou simplesmente tudo vira uma bagunça”, disse o executivo.

A Capcom quer sintonizar muito bem os novos elementos para respeitar os velhos

“Nós realmente queríamos ir além e mostrar um ecossistema vivo e orgânico, que é mais do que apenas visual. É aprimorar a IA para melhorar as interações entre monstros e criaturas, predadores e presas e também retratar melhor a sobrevivência do mais apto. Para fazer isso, ficou claro para nós que a geração atual de consoles de mesa era a ideal para isso”.

Já aconteceu antes e os fãs adoraram

Vale lembrar que não é a primeira vez que a série passa por mudanças que os fãs torceram o nariz. Monster Hunter 4 introduziu a mecânica que permitia que os caçadores pulassem, algo nunca antes visto, e isso causou um grande alvoroço e Monster Hunter Generations trouxe os Hunting Styles, que oferecem habilidades especiais ao jogador. Entretanto, no fim todas foram bem aceitas e são vistas como novos elementos que definem Monster Hunter no que é.

Muitos fãs torceram o nariz para Monster Hunter 4 e Generations, mas no fim, gostaram bastante

Aparentemente, esse deve ser o mesmo caso com Monster Hunter World: coisas novas que adicionam mais do que mudam, oferecendo mais perspectivas de jogabilidade, novos tipos de abordagem e uma variedade de gameplay maior. É cedo ainda para julgar o quanto o game mudará na nova geração de consoles, mas a Capcom já nos provou no passado que sabe lidar com a franquia. O que você espera?

[ad_2]

Source link

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *