Com reservas, Atlético-MG bate a Chapecoense e deixa a zona de rebaixamento

Com reservas, Atlético-MG bate a Chapecoense e deixa a zona de rebaixamento

[ad_1]

Mesmo com um time repleto de reservas, o Atlético Mineiro venceu a Chapecoense por 1 a 0, neste domingo à noite, na Arena Condá, em Chapecó (SC), pela décima rodada do Campeonato Brasileiro. Foi uma vitória importante porque tirou a equipe da zona de rebaixamento, agora somando 13 pontos, em 14.º lugar. Esta foi a terceira derrota seguida do time catarinense, também com 13 pontos, porém, em 13.º por ter mais vitórias do que os mineiros: 4 a 3.

O técnico Roger Machado resolveu poupar sete titulares, entre eles o goleiro Victor e os atacantes Fred e Robinho. Tudo por conta da semana pesada, que começa quarta-feira com o jogo diante do Botafogo, pelas quartas de final da Copa do Brasil no estádio Independência, em Belo Horizonte. No domingo vai fazer o clássico contra o Cruzeiro, de novo em casa, mas pela 11.ª rodada do Brasileiro.

O técnico Vagner Mancini também queria poupar alguns jogadores, mas só mexeu em posições chaves como na defesa e meio-campo em busca da reabilitação da goleada por 5 a 1 para o Flamengo. Antes tinha perdido, em casa, para o Botafogo, por 2 a 0.

Na quarta-feira, o time catarinense estreia na Copa Sul-Americana contra o Defensia Y Justicia, da Argentina, na região metropolitana de Buenos Aires. Depois, na segunda-feira do dia 3 de julho, enfrenta o Fluminense, no Rio, pelo Brasileiro.

A fase no time mineiro é tão ruim que o goleiro Giovanni se machucou no aquecimento e foi substituído por Cleiton. E, aos quatro minutos, o zagueiro Rodrigão sentiu uma fisgada na coxa esquerda e foi substituído por Bremer.

Apesar disso, o time visitante conseguiu fazer o gol que veio a lhe garantir o triunfo já aos 11 minutos do primeiro tempo, quando Valdívia deu um drible em Andrei Girotto quase na linha de fundo, olhou para a grande área e fez o cruzamento na medida para o desvio de cabeça de Marlone. Primeiro gol dele com a camisa atleticana.

A melhor oportunidade do empate esteve na cabeça de Wellington Paulista. Ele subiu sozinho após o cruzamento de Rossi, mas mandou para fora, aos 17 minutos.

No segundo tempo, a Chapecoense voltou mais ofensiva com o novato meia-atacante Lourency no lugar do volante Luis Antonio. O time melhorou, ganhou espaço, mas não finalizou. Aos 24 minutos, quem entrou foi Túlio de Melo no lugar de Wellington Paulista, que deixou o campo sob vaias.

A única vez em que chegou com perigo na frente foi em um levantamento de Reinaldo que Rossi tentou completar de carrinho. A bola, no entanto, foi para fora. O time da casa simplesmente não finalizou a gol. Os reservas atleticanos também não.

FICHA TÉCNICA:

CHAPECOENSE 0 X 1 ATLÉTICO-MG

CHAPECOENSE – Jandrei; Apodi, Luiz Otávio, Fabrício Bruno e Reinaldo; Andrei Girotto, Luiz Antonio (Lourency) e Lucas Mineiro (Neném); Rossi, Wellington Paulista (Túlio de Melo) e Arthur Caike. Técnico: Vagner Mancini.

ATLÉTICO-MG – Cleiton; Yago, Rodrigão (Bremer), Matheus Mancini e Leonan; Roger Bernardo, Rafael Carioca, Marlone e Otero (Luan); Valdívia (Marquinho) e Rafael Moura. Técnico: Roger Machado.

GOL – Marlone, aos 11 minutos do primeiro tempo.

ÁRBITRO – João Batista de Arruda (RJ).

CARTÕES AMARELOS – Arthur Caike, Fabrício Bruno, Lourency, Apodi e Luiz Antonio (Chapecoense); Otero, Rafael Moura, Bremer, Leonan e Rafael Carioca (Atlético-MG).

RENDA – R$ 179.080,00.

PÚBLICO – 9.013 presentes.

LOCAL – Arena Condá, em Chapecó (SC).

[ad_2]

Source link

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *