“Nossa intenção é provocar o debate”, diz equipe de ‘Polícia Federal

“Nossa intenção é provocar o debate”, diz equipe de ‘Polícia Federal

[ad_1]

‘Polícia Federal – A Lei é Para Todos’ estreia nos cinemas nesta quinta-feira, 7 de setembro, sem esconder sua intenção de colocar lenha na fogueira do debate político que tem dominado a sociedade brasileira nos últimos anos. Concebido para ser o primeiro de uma potencial trilogia, o filme acompanha o início da Operação Lava Jato, desde a prisão do doleiro Alberto Youssef até a condução coercitiva do ex-presidente Lula, em março de 2016.

“A gente está vivendo um momento no país, na verdade dá para dizer que no mundo, muito polarizado. Acho que qualquer posição no meio do caminho, talvez mais moderada, não atrai ninguém”, disse o diretor Marcelo Antunez, em entrevista concedida a mim na última semana.

“É claro que vão interpretar o filme de um lado ou de outro, mas não é uma preocupação porque o mais importante é a gente ter certeza do objetivo pelo qual a gente fez o filme, que é entretenimento. É uma história fantástica que a gente teve vontade de contar, também para provocar debate. A gente não está querendo panfletar, fazer a cabeça de ninguém, e nem está querendo dizer que esta corrupção veio a partir de agora, ela está aí desde sempre”.

No centro da trama estão quatro delegados da Polícia Federal de Curitiba, interpretados por Antônio Calloni, Flávia Alessandra, Bruce Gomlevsky e Marcelo Serrado. Os personagens, apesar de fictícios, foram baseados em traços de personalidades dos profissionais que trabalham na Operação. Marcelo Serrado tem participações esporádicas como o juiz Sergio Moro, retratado como homem de família dividido entre a vida em casa e as obrigações, sempre sério e compenetrado. Já Lula vira um sujeito ardiloso e falastrão, na interpretação de Ary Fontoura.

A escolha de tom para a construção das figuras já descaracteriza qualquer mito sobre imparcialidade, que cai por terra de vez quando surge uma jornalista beirando o histerismo, feita pela atriz Juliana Schalch, para representar os veículos de comunicação com viés esquerdista. ‘Polícia Federal – A Lei é Para Todos’ faz, portanto, pouco além de reforçar o discurso que seus agentes repetem diariamente na TV.

E, afinal, no Brasil a lei é para todos mesmo? “Isso [o título do filme] é mais uma provocação, uma proposta que tem que ser. A função da lei é promover justiça, se não está acontecendo para todo mundo ainda não vale”, define Antunez.

Veja abaixo a entrevista com o cineasta e os atores Antonio Calloni e Rainer Cadete:

[ad_2]

Source link

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *