Cueva cutuca Rodrigo Caio, que se cala; Dorival promete conversa

[ad_1]

Não bastasse o empate frustrante com a Ponte Preta no Morumbi, Christian Cueva colocou mais lenha da fogueira da crise tricolor ao deixar o vestiário na frente do grupo e disparar contra Rodrigo Caio. Na quinta, o zagueiro disse, em entrevista coletiva, que o peruano, em má fase muito criticado, “tem que se ajudar e procurar melhorar”. Chamado pelos jornalistas para falar na zona mista na noite dessa sábado, Cueva, que entrou nos minutos finais do jogo com a Macaca, riu e mandou seu recado: “Fala com o Rodrigo Caio. O Rodrigo Caio vai falar”.

Imediatamente o clima ficou estranho, com até mesmo os jornalistas perplexos. E o zagueiro, que sempre atende a imprensa tanto antes quando depois das partidas, independente do resultado, dessa vez passou reto e não se manifestou, certamente já alertado pelos assessores do clube do que havia acontecido minutos antes.

Dorival Júnior, então, chegou para a entrevista coletiva e, de cara, foi surpreendido com a questão que abordava a nova polêmica. O técnico respirou, pensou por alguns segundos e preferiu destacar que nem mesmo com essa declaração de Cueva ele percebe o elenco rachado.

“Esse é um fato que eu estou conhecendo agora. Grupo rachado não existe, não tem isso, não. Em momento nenhum teve um grupo rachado hoje, todo mundo querendo. A partir do pênalti e a expulsão, o jogo mudou completamente. Eu não vi grupo rachado em campo, eu vi uma equipe inteira em campo, buscando o jogo, com a partida administrada e, em virtude da penalidade, tudo mudou”, comentou Dorival, evitando entrar em detalhes. “Esse fato aí vai ser trabalhado internamento e não é necessário expor profissionais. Isso resolveremos lá dentro”.

Apesar de estampar em seu rosto o descontentamento com a situação, o comandante são-paulino mostrou otimismo por resolver a questão entre dois de seus principais atletas sem qualquer resistência.

“Tudo que eu fale agora eu vou expor alguém. Eu prefiro sempre resolver problemas para a gente. Temos problema demais e um a mais seria inoportuno. Vou conversar com o Rodrigo, com o Cueva e vamos resolver tranquilamente”, apostou, despistando até mesmo na hora de falar sobre a declaração dada por Rodrigo Caio na quinta.

“Não é só o Cueva. Nós temos que querer um pouco mais. Futebol é coletivo. Não é o Cueva, o Rodrigo, o Dorival… É o São Paulo Futebol Clube. Nós temos de querer um pouco mais”, reforçou.

E, ao que parece, ao menos antes de tomar ciência dos detalhes do entrevero, Dorival Júnior deixou claro nesse sábado que não pretende afastar ou repreender o meia peruano. Apesar de ter ficado muito satisfeito com a atuação de Lucas Fernandes contra a Ponte, Dorival não descarta dar a Cueva uma nova oportunidade como titular.

“Podem jogar os dois juntos. O Cueva é um grande jogador e não vamos abrir mão do Cueva. Gosto do Cueva e ele sabe que eu confio nele. Não vou abrir mão do Cueva, e o Lucas vai ganhando o seu espaço. O trabalho dele hoje foi muito bem na partida, uma pena ter sentido e pedido para sair, do contrário teria ficado. Ele vai crescer e promete muito”, concluiu Dorival Júnior.

 

[ad_2]

Source link

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *