Milhares de pessoas protestam em Hong Kong contra encarceramento de ativistas

[ad_1]

Xangai (China), 20 ago (EFE).- Milhares de pessoas protestaram neste domingo em Hong Kong contra o encarceramento de três dos principais líderes estudantis da chamada Revolução dos Guardas-chuvas de 2014.

Segundo os organizadores, esta foi a maior manifestação realizada na cidade desde 2014 e a polícia local calculou que cerca 22 mil pessoas participaram do ato, segundo o jornal “South China Morning Post”.

A passeata foi liderada por grupos pró-democracia e percorreu várias ruas até acabar no Tribunal de Apelação Final, onde aconteceu uma manifestação.

Os manifestantes protestaram contra a decisão do governo de Hong Kong de endurecer as penas contra os três jovens ativistas Joshua Wong, Alex Chow e Nathan Law, que foram condenados respectivamente a seis, sete e oito meses de prisão na sexta-feira passada, uma sentença que endurece penas ditadas anteriormente, a pedido do Departamento de Justiça de Hong Kong.

Wong e Law foram punidos apenas com trabalhos para a comunidade, que já tinham cumprido, enquanto Chow foi condenado inicialmente a três semanas de prisão, mas com liberdade condicional.

Através de cartazes, os manifestantes consideraram o encarceramento um ato de “perseguição política”. Na parte frontal da passeata era possível ler a mensagem: “não é crime lutar contra um governo totalitário”.

“A grande participação diz aos detidos que eles não estão sózinhos. Há muita gente de Hong Kong que os apoia”, apontou o líder estudantil Lester Shum, um dos porta-vozes dos organizadores.

O Governo de Hong Kong defendeu no sábado a sua decisão e o secretário-chefe da administração, Matthew Cheung Kin-chung, criticou a imprensa estrangeira por dar uma informação “sossegada” sobre o tema.

O posicionamento do ministro veio depois que 25 políticos, advogados e ativistas estrangeiros divulgaram uma declaração conjunta pedindo a liberdade dos presos, entre eles o ex-secretário de Relações Exteriores britânico Malcolm Rifkind, o congressista americano Christopher Smith e o parlamentar canadense Garnett Genuis.

Wong (20 anos), Law (24) e Chow (26) foram detidos no dia 26 de setembro de 2014 por participarem de protestos no lado de fora da sede do governo local, onde houve um confronto com a polícia.

Aqueles incidentes constituíram o prelúdio de 79 dias de protestos e acampamentos pró-democracia em Hong Kong durante o outono de 2014, período conhecido como a Revolução dos Guardas-chuvas, que cortou o trânsito em três das principais ruas da cidade.

Wong e Chow foram previamente declarados culpados de assembleia ilegal e Law de incitar outras pessoas a uma reunião ilícita.

A oposição de Hong Kong e setores da comunidade internacional criticaram as manobras do governo de Hong Kong, ligado ao regime comunista da China, e o acusaram de utilizar os tribunais para suprimir os movimentos democráticos surgidos em 2014. EFE

[ad_2]

Source link

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *