Levir reclama da chuva e afirma que faltou “contundência” ao Santos

[ad_1]

O técnico Levir Culpi ficou decepcionado mais com a falta de gols do que com o empate do Santos diante do Coritiba, na noite deste domingo, no Couto Pereira, em partida válida pela 21ª rodada do Campeonato Brasileiro. Para o treinador, ambas equipes mereciam balançar a rede, mas sofreram também com a chuva que caiu sobre a capital paranaense.

“É difícil, a chuva atrapalhou os dois times. Faltou contundência. O penúltimo passe faltou. Fizemos várias situações, mas foram poucas finalizações”, avaliou o treinador, que não abandonou o bom humor para fazer uma crítica ao futebol da etapa final.

“A melhor jogada talvez tenha sido a do nosso massagista. Ele entrou em campo e levou uma voadora, perdeu todos os utensílios. Acho que foi uma das melhoras jogadas (risos)”, disse Levir, reconhecendo que o ponto conquistado pelo Peixe ficou de bom tamanho..

“Não foi como nós queríamos, mas levando em consideração o que aconteceu no jogo, foi a lógica. O gramado estava alto, dificultou muito a atividade. Mas não faltou a parte física de ninguém. Foi muito equilibrado, acho que o jogo não merecia o 0 a 0, mas não tivemos competência de colocar a bola para dentro”, observou.

Mesmo com as ressalvas à criação de jogadas, Levir fez questão de exaltar o desempenho do meia Lucas Lima. Para ele, o que faltou mesmo ao time da Baixada foi um poder de fogo maios do trio formado por Bruno Henrique, Copete e Kayke, além de Nilmar, que entrou no segundo tempo.

“Lucas Lima é um jogador acima da média. Ele tem uma distribuição de bola excelente. Ele fez isso, distribuiu muito bem, mas faltou completar os lances. Mas ele produziu o normal, mas faltamos finalizar”, concluiu o comandante.

[ad_2]

Source link

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *