Jô diz que derrota tira pressão e prevê puxão de orelha em Arana

[ad_1]

A derrota por 1 a 0 para o Vitória, no último sábado, em pleno estádio de Itaquera, não foi tão ruim para o Corinthians. A avaliação é do centroavante Jô, para quem o inédito revés no Campeonato Brasileiro irá tirar a pressão que a invencibilidade de 34 partidas provocava entre os jogadores.

“Ninguém gosta de ser derrotado, mas tirou um pouco dessa pressão desnecessária que estávamos carregando. Agora tudo vai ficar mais tranquilo, uma derrota não mancha ou abala o que temos feito”, afirmou o jogador, durante participação no programa Mesa Redonda, da TV Gazeta, neste domingo.

De fato, o tropeço em casa pouco mudou a situação do Timão no campeonato. Com um jogo a menos, a equipe lidera com 47 pontos, sete a mais que o segundo colocado Grêmio, que nesta manhã não conseguiu diminuir como queria a diferença para o rival, já que só empatou com o Atlético-PR, em Porto Alegre.

Questionado acerca da consistência tática do Corinthians na temporada, Jô previu que Guilherme Arana levará uma bronca do técnico Fábio Carille, em razão da falha de posicionamento do lateral esquerdo no lance do gol do Vitória, marcado pelo colombiano Tréllez.

“Com certeza ele vai puxar a orelha do Arana, porque ele estava mal posicionado. São coisas que acontecem”, ponderou o artilheiro isolado do Brasileirão, com 11 gols, antes de dar prosseguimento à sua análise do comportamento tático do time alvinegro, dono da melhor defesa do torneio, com apenas dez tentos sofridos.

“Não surpreende porque o Fábio (Carille) teve uma escola muito boa, começando com o Mano Menezes e depois trabalhou com o Tite. Pegou um pouco de cada e conseguiu implantar essa organização tática”, relembrando as críticas do começo do ano, quando a equipe não era a principal favorita aos títulos que iria disputar.

“A primeira coisa que o Fábio falou era que a gente tinha de se organizar dentro de campo. E todos entenderam que, para se formar uma boa equipe, precisaríamos de uma boa defesa. A gente se uniu nesse aspecto para mostrar que não éramos um time ruim”, encerrou.

[ad_2]

Source link

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *