10 motivos para não perder

10 motivos para não perder

[ad_1]

Depois das escalas na França, Portugal, Holanda, Inglaterra, Alemanha e Espanha, a série de guias do blog, com apresentação dos sete principais campeonatos nacionais da Europa, encerra a turnê na Itália. A Serie A, como é chamado o Campeonato Italiano, começa neste sábado, com os duelos entre Juventus x Cagliari e Verona x Napoli.

A seguir, o Campeonato Italiano é apresentado por um dos maiores especialistas do país quando o assunto é o Calcio —o amigo Braitner Moreira blogueiro do Correio Braziliense e mentor do calciopedia.com.br.  Ele traz fichas dos 20 candidatos ao título, os times-base, técnicos, as principais contratações e 10 motivos para você pegar o controle remoto e ficar ligado nos caras que podem fazer a diferença daqui a 10 meses, na Copa da Rússia.

Respeitável público! Com vocês, a temporada de 2017/2018 da Serie A!

 

  Serie A

 

10 MOTIVOS PARA VOCÊS NÃO PERDER A SERIE A

 

 

  1. Com a cara dos anos 90

A derrota da Juventus para o Real Madrid, em maio, na final da Liga dos Campeões, deixou sua marca. Parte do grupo rachou e isso levou às saídas de Leonardo Bonucci para o Milan e Daniel Alves para o Paris Saint-Germain. Fato é que, nesta década, a Velha Senhora nunca esteve tão fragilizada. Chance de termos uma liga equilibrada, como há muito tempo não se vê. O Napoli manteve a força do ano passado, a Roma apostará em um estilo de jogo mais direto, a Inter voltou a investir, a Lazio segue como uma força capaz de derrubar favoritos e…

 

  1. Uma superversão do Milan

A grande novidade é, realmente, o Milan. Agora controlado por chineses, o rubro-negro já gastou € 189,5 milhões em contratações e ainda tem caixa para buscar mais um centroavante. O desmotivado time que terminou a última temporada no sexto lugar não existe mais. O discurso oficial é de buscar uma vaga na Liga dos Campeões, mas há quem tenha esperança de levar o título.

 

  1. Como sempre, os brasileiros 

Só o Campeonato Português tem mais jogadores brasileiros do que o Italiano. O torneio começa, hoje, com 38 atletas daqui. Dez deles estão na capital, divididos meio a meio. A Roma tem Juan Jesus, Emerson Palmieri, Bruno Peres, Gerson e o goleiro da Seleção Brasileira, Alisson. A Lazio conta com Lucas Leiva, o brasiliense Felipe Anderson e um trio de zagueiros: Maurício, Luiz Felipe e Wallace.

 

  1. De volta à elite

Ao fim desta temporada, a Itália voltará a emplacar quatro times diretamente na fase de grupos da Liga dos Campeões. O país não põe três equipes nessa fase desde a temporada 2013/14, quando contou com Juventus, Napoli e Milan.

 

  1. La nuova gioventù

Há uma nova geração de artilheiros na rampa de lançamento do futebol italiano. O torcedor do Milan descobriu o xodó Patrick Cutrone e ainda não decidiu se vai emprestá-lo para poder jogar mais. A Roma tem Marco Tumminello, que fez gol contra o Tottenham na pré-temporada. O Genoa confia em Pietro Pellegri, o garoto que estreou na despedida de Francesco Totti marcando antes do primeiro minuto. E mais: Riccardo Orsolini na Atalanta, Dawid Kownacki na Sampdoria e Andrea Pinamonti na Inter.

 

  1. Adeus, Buffon

A última temporada marcou o adeus de Totti aos gramados. A próxima será a última de Gianluigi Buffon, maior bandeira do futebol italiano em atividade. O goleiro da Juventus se despedirá depois da Copa do Mundo. Antes disso, então, terá a última chance de buscar seu nono título da Serie A.

 

  1. É ano de Copa do Mundo

Desnecessário dizer o quanto a última temporada antes da Copa do Mundo é importante para quem ainda precisa conseguir uma vaga. Como o técnico da Itália, Giampiero Ventura, ainda não fechou boa parte do grupo azzurro, há espaço para muita gente se motivar. São os casos de Conti e Montolivo no Milan; Bernadeschi na Juventus; Ferrari na Sampdoria; Éder na Inter; Florenzi, Pellegrini e El Shaarawy na Roma.

 

  1. O fator Pecchia

Nenhum jogador foi tão rebaixado na história da Serie A: nos tempos em que era meia, Fabio Pecchia, caiu para a segundona com Sampdoria, Torino, Napoli, Como e Ascoli. Neste fim de semana, estreará como técnico na primeira divisão no comando do Verona, atual vice-campeão da Serie B. Temos um favorito ao rebaixamento?

 

  1. Haja carisma

Na Itália, é comum que times pequenos subam como meteoros à Serie A – para caírem miseravelmente anos depois. A equipe da vez é o Benevento, que, há dois anos, jogava na terceira divisão. O clube representa a “cidade das bruxas”, de mesmo nome, que fica perto de Nápoles. Benevento ficou conhecida assim por causa dos ritos pagãos que o povo local fazia na região dos séculos VI a VIII. Por isso, a mascote é uma feiticeira.

 

  1. Na TV

O Campeonato Italiano tem boa cobertura na TV brasileira – afinal, foi o primeiro torneio internacional a ser transmitido para o país. Na primeira rodada, por exemplo, serão seis jogos ao vivo. Acompanhe nos canais ESPN e Fox Sports, além da Rai.

 

 

CAMPEONATO ITALIANO

 

Período: 18/8/2017 a 20/5/2018

Clubes: 20

Jogadores: 595

Estrangeiros: 317 (53,3%)

Média de idade: 26,2 anos

Investimento em contratações: € 805,3 milhões

Quem mais gastou: Milan, € 189,5 milhões

Vagas na Liga dos Campeões: 4

Quem transmite: ESPN Brasil, Fox Sports e Rai

 

 

COMO FOI NA TEMPORADA 2016/2017

 

Campeã: Juventus, 91 pontos

Vagas para Liga dos Campeões: Juventus, Roma e Napoli

Vagas para Europa League: Atalanta, Lazio e Milan

Quem subiu: Spal, Verona e Benevento

Quem desceu: Pescara, Palermo e Empoli

Gols: 1.123 / Jogos: 380 / Média de gols: 2,96

Artilheiro: Edin Dzeko (Roma), 29

Média de público: 22.047

Melhor média de público: Inter (46.620)

 

 

OS 20 CANDIDATOS AO TÍTULO

 

 

ATALANTA

Fundação: 1907

Título: não tem

Estádio: Atleti Azzurri D’Italia (26.562)

Time-base (3-4-3)

Berisha

Rafael Toloi, Caldara, Masiello

Castagne, De Roon, Freuler, Spinazzola

Ilicic, Petagna, Gómez

Técnico: Gian Piero Gasperini

Brasileiros: Rafael Toloi e João Schmidt

 

 

BENEVENTO

Fundação: 1929

Título: não tem

Estádio: Ciro Vigorito (17.500)

Time-base (4-4-2)

Belec

Letizia, Lucioni, Costa, Di Chiara

Ciciretti, Cataldi, Viola, D’Alessandro

Ceravolo, Coda

Técnico: Marco Baroni

Brasileiro: não tem

 

BOLOGNA

Fundação: 1909

Títulos: 7

Estádio: Renato Dall’Ara (38.279)

Time-base (4-2-3-1)

Mirante

Torosidis, De Maio, Gastaldello, Masina

Taïder, Poli

Verdi, Falletti, Di Francesco

Destro

Técnico: Roberto Donadoni

Brasileiro: Angelo da Costa

 

CAGLIARI

Fundação: 1920

Títulos: 1

Estádio: Sardegna Arena (16.233)

Time-base (4-3-1-2)

Cragno

Padoin, Pisacane, Andreolli, Miangue

Barella, Cigarini, Ionita

João Pedro

Sau, Cop

Técnico: Massimo Rastelli

Brasileiros: Rafael, João Pedro e Diego Farias

 

CHIEVO

Fundação: 1929

Títulos: não tem

Estádio: Marcantonio Bentegodi (39.211)

Time-base (4-3-1-2)

Sorrentino

Cacciatore, Dainelli, Cesar, Gobbi

Castro, Radovanovic, Hetemaj

Birsa

Pucciarelli, Inglese

Técnico: Rolando Maran

Brasileiro: não tem

 

CROTONE

Fundação: 1910

Títulos: não tem

Estádio: Ezio Scida (16.640)

Time-base (4-4-2)

Cordaz

Faraoni, Ceccherini, Cabrera, Martella

Rohdén, Izco, Mandragora, Nalini

Trotta, Budimir

Técnico: Davide Nicola

Brasileiro: não tem

 

FIORENTINA

Fundação: 1926

Títulos: 2

Estádio: Artemio Franchi (43.147)

Time-base (4-2-3-1)

Sportiello

Bruno Gaspar, Vitor Hugo, Astori, Biraghi

Badelj, Benassi

Chiesa, Saponara, Eysseric

Simeone

Técnico: Stefano Pioli

Brasileiro: Vitor Hugo

 

GENOA

Fundação: 1893

Títulos: 9

Estádio: Luigi Ferraris (36.599)

Time-base (3-4-3)

Perin

Rossettini, Spolli, Zukanovic

Lazovic, Rigoni, Bertolacci, Laxalt

Lapadula, Galabinov, Ninkonvic

Técnico: Ivan Juric

Brasileiro: não tem

 

INTER

Fundação: 1908

Títulos: 18

Estádio: Giuseppe Meazza (80.018)

Time-base (4-2-3-1)

Handanovic

D’Ambrosio, Skriniar, Miranda, Dalbert

Gagliardini, Borja Valero

Candreva, João Mário, Perisic

Icardi

Técnico: Luciano Spalletti

Brasileiros: Miranda, Dalbert e Gabriel Barbosa

 

JUVENTUS

Fundação: 1897

Títulos: 33

Estádio: Allianz Stadium (41.475)

Time-base (4-2-3-1)

Buffon

De Sciglio, Benatia, Chiellini, Alex Sandro

Pjanic, Khedira

Douglas Costa, Dybala, Mandzukic

Higuaín

Técnico: Massimiliano Allegri

Brasileiros: Alex Sandro e Douglas Costa

 

LAZIO

Fundação: 1900

Títulos: 2

Estádio: Olímpico (70.634)

Time-base (3-5-2)

Strakosha

Wallace, De Vrij, Radu

Basta, Parolo, Lucas Leiva, Milinkovic-Savic, Lulic

Immobile, Felipe Anderson

Técnico: Simone Inzaghi

Brasileiros: Wallace, Maurício, Luiz Felipe, Lucas Leiva e Felipe Anderson

 

MILAN

Fundação: 1899

Títulos: 18

Estádio: Giuseppe Meazza (80.018)

Time-base (3-5-2)

Donnarumma

Musacchio, Bonucci, Romagnoli

Conti, Kessié, Biglia, Çalhanoglu, Rodríguez

Suso, André Silva

Técnico: Vincenzo Montella

Brasileiro: não tem

 

NAPOLI

Fundação: 1926

Títulos: 2

Estádio: San Paolo (60.240)

Time-base (4-3-3)

Reina

Hysaj, Albiol, Koulibaly, Ghoulam

Allan, Jorginho, Hamsík

Callejón, Mertens, Insigne

Técnico: Maurizio Sarri

Brasileiros: Rafael, Allan e Leandrinho

 

ROMA

Fundação: 1927

Títulos: 3

Estádio: Olímpico (70.634)

Time-base (4-3-3)

Alisson

Karsdorp, Manolas, Moreno, Kolarov

Nainggolan, De Rossi, Strootman

Defrel, Dzeko, Perotti

Técnico: Eusebio Di Francesco

Brasileiros: Alisson, Juan Jesus, Bruno Peres, Emerson Palmieri e Gerson

 

SAMPDORIA

Fundação: 1946

Títulos: 1

Estádio: Luigi Ferraris (36.599)

Time-base (4-3-1-2)

Viviano

Sala, Silvestre, Ferrari, Murru

Barreto, Torreira, Linetty

Ramírez

Caprari, Quagliarella

Técnico: Marco Giampaolo

Brasileiro: Dodô

 

SASSUOLO

Fundação: 1920

Títulos: não tem

Estádio: Città del Tricolore (21.584)

Time-base (4-3-3)

Consigli

Lirola, Acerbi, Cannavaro, Peluso

Duncan, Magnanelli, Missiroli

Berardi, Falcinelli, Politano

Técnico: Cristian Bucchi

Brasileiro: não tem

 

SPAL

Fundação: 1907

Títulos: não tem

Estádio: Paolo Mazza (12.348)

Time-base (3-5-2)

Meret

Oikonomou, Vicari, Felipe

Lazzari, Grassi, Viviani, Mora, Konate

Paloschi, Floccari

Técnico: Leonardo Semplici

Brasileiro: Felipe

 

TORINO

Fundação: 1906

Títulos: 7

Estádio: Olímpico Grande Torino (27.958)

Time-base (4-2-3-1)

Sirigu

Zappacosta, Lyanco, N’Koulou, Barreca

Rincón, Acquah

Falqué, Ljajic, Berenguer

Belotti

Técnico: Sinisa Mihajlovic

Brasileiros: Lyanco e Danilo Avelar

 

UDINESE

Fundação: 1896

Títulos: não tem

Estádio: Friuli-Dacia Arena (25.144)

Time-base (4-4-2)

Scuffet

Widmer, Danilo, Samir, Pezzella

De Paul, Hallfredsson, Fofana, Jankto

Théréau, Lasagna

Técnico: Luigi Delneri

Brasileiros: Danilo, Samir, Ewandro e Ryder Matos

 

VERONA

Fundação: 1903

Títulos: 1

Estádio: Marcantonio Bentegodi (39.211)

Time-base (4-3-3)

Nícolas

Rômulo, Heurtaux, Cáceres, Souprayen

Zuculini, Fossati, Bessa

Cerci, Pazzini, Verde

Técnico: Fabio Pecchia

Brasileiros: Nícolas, Rômulo e Daniel Bessa

[ad_2]

Source link

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *