São Paulo faz três gols em oito minutos, vira sobre o Bota e sai do Z4

São Paulo faz três gols em oito minutos, vira sobre o Bota e sai do Z4

[ad_1]

Por um lado, uma grande vitória de virada. Do outro, um apagão que resultou em três gols sofridos em oito minutos. De um jeito ou de outro, Botafogo e São Paulo fizeram um grande jogo no Estádio Nilton Santos, neste sábado. Um emocionante 4 a 3 para o Tricolor.

O primeiro lance de perigo foi aos nove minutos, quando Rodrigo Pimpão mandou de voleio para fora. Mas o jogo era equilibrado. Aos 17 minutos, Pratto fez jogada pela direita e passou para Cueva. O peruano fez boa jogada, mas contou com a dúvida de João Paulo e Gatito Fernández para completar para o gol, já vazio.

Aí o Botafogo fez a saída de bola, iniciou jogada pela direita, a bola foi parar na esquerda… e o cronômetro marcava 19 minutos quando a bola caiu nos pés de Marcos Vinícius. Chute inapelável, no cantinho. E o jogo estava empatado.

Se não teve o que fazer no primeiro gol, Renan Ribeiro falhou no segundo. Aos 25 minutos, Marcos Vinícius chutou de fora da área e o goleiro tricolor pulou atrasado. Segundo gol do meia, e a virada alvinegra.

Edimar, aos 28, e Marcinho, aos 33, tentaram, mas não deram a melhor direção às respectivas finalizações. Sorte de Carli, que deu bobeira no lance.

A primeira boa chance do estreante Hernandes foi aos 42, também de cabeça. Ele também não conseguiu direcionar da melhor forma, após cruzamento do lateral-esquerdo Edimar.

E a primeira boa criada na segunda etapa foi também do Profeta, aos sete minutos. Chute de esquerda, nas mãos de Gatito.

O São Paulo dominava a posse de bola e teve pênalti marcado após choque de Wellington Nem e Carli. Aos 22, Cueva bateu, Gatito defendeu e, no contra-ataque, a bola girou da esquerda para a direita, Luis Ricardo deu o passe e Guilherme chutou de primeira. Gol do atacante! Ou gol do goleiro?

O Tricolor não aproveitou a grande chance e o Botafogo havia acordado. No ataque contra defesa da reta final, Pimpão tentou, num contragolpe, mas quem fez foi Marcos Guilherme, de cabeça, aos 39: 3 a 2.

Acha que acabou? Hernanes, aos 41, fez um chute virar gol. Empate no jogão. E não havia acabado mesmo! Ainda deu tempo de Cueva lançar Marcos Guilherme e o atacante chutar cruzado. No apagão do Glorioso, virada do Tricolor, que sai do Z4.

FICHA TÉCNICA:
BOTAFOGO 3 X 4 SÃO PAULO

Data-hora: 29/7/2017, às 16h
Local: Estádio Nilton Santos, no Rio de Janeiro (RJ)
Árbitro: André Luiz de Freitas Castro (GO)
Assistentes: Bruno Raphael Pires (GO) e Leone Carvalho Rocha (GO)
Cartões amarelos: Petros (SAO)
Cartão vermelho:
Renda/público: R$ 528.120,00/14.016 pagantes
Gols: Cueva (17’/1ºT 1 – 0), Marcos Vinícius (19’/1ºT 1 – 1 e aos 25’/1ºT 2 – 1), Guilherme (23’/2ºT 3 – 1), Marcos Guilherme (39’/2ºT 3 – 2 e aos 47’/2ºT 3-4) e Hernanes (41’/2ºT 3 – 3).

BOTAFOGO:
Gatito Fernández, Luis Ricardo, Carli, Igor Rabello e Victor Luís (Victor Lindenberg, 31’/2ºT); Rodrigo Lindoso, João Paulo, Matheus Fernandes e Marcos Vinícius (Guilherme, 14’/2ºT); Rodrigo Pimpão e Roger (Brenner, 34’/2ºT) – Técnico: Jair Ventura.

SÃO PAULO: Renan Ribeiro, Bruno, Rodrigo Cario, Arboleda e Edimar; Jucilei, Petros (Marcos Guilherme, 18’/2ºT) e Hernanes; Marcinho (Wellington Nem, 18’/2ºT), Pratto (Gilberto, 31’/2ºT) e Cueva – Técnico: Dorival Júnior.

E MAIS:

[ad_2]

Source link

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *