Filho de Abel é enterrado com presença de atletas do Flu e nomes do futebol

[ad_1]

LÉO BURLÁ

RIO DE JANEIRO, RJ (UOL/FOLHAPRESS) – O estudante João Pedro Braga foi enterrado na manhã deste domingo (30), no Cemitério Memorial do Carmo, no Caju, zona portuária do Rio de Janeiro. O filho do técnico Abel Braga, do Fluminense, morreu no último sábado aos 19 anos, ao cair da janela do prédio da família.

Alguns jogadores do Fluminense compareceram ao enterro para prestar solidariedade ao treinador, todos vestidos de preto, casos do atacante Henrique Dourado, do zagueiro Henrique, dos meias Gustavo Scarpa e Sornoza e dos goleiros Julio César e Diego Cavalieri. Peter Siemsen, ex-presidente do clube, também esteve presente no Cemitério Memorial do Carmo.

Edinho, volante do Coritiba, que trabalhou com Abel Braga no Internacional, também prestou solidariedade ao técnico no enterro deste domingo, assim como o ex-lateral Felipe, ex-jogador de Vasco, Flamengo e Fluminense.

O técnico Cuca, do Palmeiras, também se deslocou até o Rio de Janeiro para apoiar o amigo. Jayme de Almeida, auxiliar do Flamengo, foi outro nome do universo do futebol que compareceu ao sepultamento.

“Conheço o Abel desde menino. Vim mesmo para dar um abraço, mostrar que estamos com ele” afirmou Jayme de Almeida, ex-técnico do Flamengo, bastante emocionado.

Ídolo do Fluminense e da seleção brasileira, o ex-jogador Branco também esteve na manhã deste domingo no Cemitério Memorial do Carmo. “É uma perda irreparável, um vazio que vai ficar para sempre. Como amigo venho para dar um carinho para o Abel, um grande irmão que tenho. Não há palavras agora, só afeto e carinho”, comentou o ex-lateral.

Clubes como Santos e Atlético-MG enviaram coroas de flores para o enterro de João Pedro no Rio de Janeiro, assim como a CBF e o atacante atleticano Rafael Moura.

O velório de João Pedro aconteceu durante a madrugada de sábado para domingo, no salão nobre das Laranjeiras, sede do Fluminense. Tite, técnico da seleção brasileira, compareceu para levar seu abraço à família. Abel Braga passou a noite no clube.

O OCORRIDO

João Pedro Braga morreu na manhã de sábado ao cair da janela do apartamento da família, no Leblon, Zona Sul do Rio de Janeiro. Segundo relatos de parentes, o rapaz de 19 anos se sentiu mal quando se preparava para tomar banho e acabou caindo do local -que tem uma janela considerada baixa. A Polícia realizou uma perícia no local, mas não ainda divulgou resultados e detalhes oficiais.

O treinador comandava uma atividade no CT do Fluminense quando foi informado da tragédia. A delegação nem seguiu para Campinas, local da partida contra a Ponte, inicialmente marcada para domingo, às 16 horas.

Ao tomar conhecimento da tragédia, a direção do Fluminense entrou em contato com a Ponte Preta e fez uma solicitação de adiamento da partida junto à CBF, que prontamente acatou o pedido. O jogo será remarcado para o dia 9 de agosto (quarta-feira).

Assim, o confronto diante do Atlético-GO, marcado inicialmente para o dia 7 (segunda-feira) será antecipado para o final de semana, sendo disputado no dia 5 ou 6 (sábado ou domingo) do próximo mês -respeitando o intervalo mínimo entre dois compromissos.

O Fluminense decretou luto oficial de três dias e emitiu uma nota de apoio ao treinador: “o Fluminense Football Club, seu presidente, vice-presidentes, diretores e funcionários prestam suas condolências e manifestam sua solidariedade ao técnico Abel Braga e sua família neste momento de tristeza pela morte de seu filho João Pedro”.

[ad_2]

Source link

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *