Agora em alta, Corinthians reedita duelo que foi muleta para Oswaldo – Mundo | DOL – Diário Online

Agora em alta, Corinthians reedita duelo que foi muleta para Oswaldo – Mundo | DOL – Diário Online

[ad_1]

Dos seus apenas nove jogos no comando do Corinthians em 2016, foi um empate o que mais marcou positivamente o técnico Oswaldo de Oliveira. Ele usou de maneira recorrente a boa atuação coletiva na igualdade por 2 a 2 com o Flamengo, próximo adversário do time de Fábio Carille, para defender o seu trabalho na curta terceira passagem pelo clube em que conquistou o Mundial de 2000.

Na ocasião, o Corinthians estava pressionado pela eliminação da Copa do Brasil diante do Cruzeiro, com uma derrota por 4 a 2 no Mineirão. Para enfrentar o Flamengo no Maracanã no jogo seguinte, em 23 de outubro, Oswaldo apostou no contestado meia Guilherme (hoje, emprestado ao Atlético-PR) como um falso centroavante e foi recompensado com um gol dele logo aos seis minutos.

Ainda no primeiro tempo, porém, Paolo Guerrero tirou proveito de um impedimento não assinalado pela arbitragem para empatar a partida. Sem se abater, o Corinthians balançou a rede outra vez com o meia Rodriguinho, em envolvente jogada ofensiva, pouco antes do intervalo. Na etapa complementar, Guilherme acabou expulso e o centroavante peruano que revoltou a torcida corintiana ao se transferir para o Flamengo anotou outro gol.

Apesar do empate, Oswaldo de Oliveira ficou orgulhoso com a postura do Corinthians diante de uma equipe, à época, postulante ao título do Campeonato Brasileiro. A partir daquele dia, ele passou a se apegar ao rendimento do seu time contra o Flamengo quando se sentia contestado em entrevistas coletivas. Foi assim até após a vexatória derrota por 4 a 0 para o São Paulo, no Morumbi.

“Essa equipe que começou o jogo hoje, com exceção do goleiro (Cássio no lugar de Walter), foi a mesma que começou contra o Flamengo e fez uma partida muito boa. Não conseguimos reeditar”, lamentou Oswaldo, irritado com as críticas que recebia depois do clássico. “Com esse time, fizemos uma grande partida contra o Flamengo, que era para termos vencido. Um erro de arbitragem tirou a nossa vitória, assim como hoje, em que um erro desequilibrou o time”, insistiu, salientando até que quis marcar o meia são-paulino Cueva como havia feito com o armador flamenguista Diego.

O jogo que servia de exemplo para Oswaldo de Oliveira não bastou para ele manter o seu emprego em 2017. Após duas vitórias, quatro empates e três derrotas, tendo fracassado na missão de classificar o Corinthians à Copa Libertadores da América, o treinador que deixara o Sport foi dispensado pelo presidente Roberto de Andrade.

Quando demitiu Oswaldo, cedendo à pressão feita por conselheiros do Corinthians, Roberto descartou a promoção do então auxiliar Fábio Carille para o cargo vago. Sem opções no mercado, reviu o posicionamento e decidiu dar uma chance ao profissional que viria a ser campeão paulista meses depois e agora acumula 41 partidas de invencibilidade e lidera com folga o Campeonato Brasileiro.

O próximo desafio de Fábio Carille será justamente contra o Flamengo. Às 16 horas (de Brasília) deste domingo, em Itaquera, o Corinthians tentará se mostrar ainda mais convincente do que foi no último jogo contra o time carioca, quando ainda estava sob a direção de Oswaldo de Oliveira (que parou no Al-Arabi, do Catar), e ir além de um empate.

Goleada
Curiosamente, um jogo contra o Flamengo também marcou o ponto alto da trajetória de outro dos quatro técnicos que o Corinthians teve em 2016. Com Cristóvão Borges, o time paulista fez 4 a 0 no carioca no primeiro turno daquele Campeonato Brasileiro, em Itaquera. No confronto, o zagueiro Pedro Henrique (que será titular novamente no fim de semana, já que Pablo se contundiu) foi ovacionado por se impor no duelo com Guerrero.

Fonte: Gazeta Esportiva

[ad_2]

Source link

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *