Consumir a clara do ovo não é mais saudável do que comer o ovo inteiro

Consumir a clara do ovo não é mais saudável do que comer o ovo inteiro

[ad_1]

Aposto que você já notou que as omeletes “saudáveis” constituem uma refeição bem mais decadente e menos satisfatória. Você provavelmente já cansada de separar as gemas na hora de fazer alguma receita, como os ovos beneditinos, para seguir alguma dieta.

Mas por que fazer isso? A verdade é que não consumir as gemas dos ovos não faz diferença, em termos de saúde. Essa loucura precisa ter fim.

Durante um tempo, as claras de ovos foram conhecidas como uma solução dietética para “problemas” como o excesso de calorias, gorduras ou colesterol, encontrados nas gemas.

A verdade é que as claras têm menos calorias do que o ovo inteiro, obviamente, já que você está removendo uma parte do ovo. Apesar disso, vários nutricionistas e pesquisadores dizem que as pessoas não devem unicamente visar uma baixa quantidade de calorias diárias, mas sim um alto valor nutricional.

É verdade que as gemas contêm gordura (cerca de 3,5 gramas cada). Essa quantidade é relativamente pequena (cerca de um décimo da gordura encontrada em um abacate), e a gordura é necessária para manter uma boa saúde e pode diminuir o risco de doenças cardíacas, além de aumentar a saúde cerebral e auxiliar na perda de peso. O consumo de gorduras saudáveis tem sido associado ao aumento do colesterol bom e à diminuição do colesterol ruim. Então, caso a sua preocupação seja mesmo o colesterol, não separar as gemas dos ovos é mais do que uma boa ideia.

E falando nisso, também é verdade que a gema do ovo contém uma quantidade razoável de colesterol. No entanto, (e você sabia eu ia dizer isso), nosso medo de consumir o colesterol encontrado nos ovos é totalmente infundado. Para confirmar isso, conversamos com um pesquisador e especialista em saúde muscular, Neerav D. Padliya, Ph. D, vice presidente de pesquisas da Qurr, uma empresa que comercializa suplemento para o aumento muscular feito da gema do ovo.

“Muitas pessoas evitam a gema do ovo pelas preocupações relacionadas ao impacto do consumo no aumento do colesterol sérico”, ele explicou. O colesterol sérico tem sido associado às doenças cardíacas, de modo que muitos adultos estão cada vez mais cuidadosos com sua ingestão de colesterol, muitas vezes evitando as gemas dos ovos.

“No entanto”, diz o Dr. Padliya, “de acordo com uma pesquisa publicada pelo Dr. Frank Hu, da Universidade de Harvard, consumir um ovo por dia parece não ter qualquer impacto sobre o risco de doenças coronarianas ou AVC, em homens e mulheres saudáveis”.

Sendo assim, comer um ou dois ovos por dia pode ser uma opção sábia para controlar o colesterol. Se você já tende a ter um colesterol alto, também não precisa se preocupar tanto. Afinal, quem come mais de dois ovos de cada vez?

Comer as gemas dos ovos não apenas é algo inofensivo, como também pode ser extremamente benéfico.

Se você quer consumir mais proteínas, a gema do ovo pode ajudá-lo com isso. Naturalmente, quando você separa as gemas dos ovos, deixa de consumir suas proteínas. Fim da história.

A gema do ovo também é uma mina de ouro nutricional, especialmente quando se trata de vitaminas e minerais. Se você a ignorar, deixará de consumir quantidades significativas de ferro, fósforo, zinco, selênio, ácido fólico e colina. Você também perderá quantidades significativas de vitamina D e A. Isso sem falar da luteína e zeaxantina, dois carotenoides que, de acordo com o Dr. Padliya, “Podem ajudar a prevenir a degeneração macular relacionada à idade, uma das principais causas de cegueira no mundo ocidental”.

Além de gostosas, as gemas fazem bem para os olhos e para o coração. Sendo assim, por que continuar fazendo omeletes sem gemas e sem graça? Estamos nos enganando em prol de um falso benefício nutricional e nos privando do prazer de quebrar uma gema mole.

Holly Van Hare

The Daily Meal

[ad_2]

Source link

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *